Sunday, November 19, 2006



Eram os anos 80 e Portugal fervilhava de cultura liderada pela vanguarda da revolução. Assim nasceram as os emblemáticos Kilas, o mau da fita e Crónica dos bons malandros. São a face do Portugal urbano e pós- revolucionário e oscilam entre o retrato dos resquícios de fascismo e o submundo do pequeno crime organizado. O glamour dos 80 está presente numa espécie de "movida Lisboeta", cheia de lantejoulas, muita laca e maquilhagem. Apesar de uma carreira diversificada, tanto Fonseca e Costa como Fernando Lopes conseguiram ser os pais da vanguarda e ultrapassar a barreira do trocadilho da Revista à Portuguesa ou do drama do romance histórico dos grandes clássicos do cinema português.

1 comment:

pipi das meias altas said...

olá eu sou o Kilas, o mau da fita. os bons malandros eram estes, os dos anos 80, agora são uns farrapos de malandros que deitam para trás a história do cinema português, como quem deixa o avô vo velhão. estes filmes esquecem as ususais cantigas de intervenção e o cheiro a naftalina dos fatos de 70 e atacam-nos com o patcholi e todo o glamour dos 80. muito à frente.

Blog Archive